sábado, 31 de dezembro de 2011

Em 2011 eu...

...

2011 foi um ano bem turbulento e agitado. Muita coisa ruim e muita coisa boa também.
Aos 45 min do segundo tempo me dei conta que só tinha a prorrogação para fazer tudo valer a pena. Deixei de lado meu orgulho, meu medo, meus preconceitos e fui viver... não é que deu certo?
Esse foi um ano em que chorei muito, mas tive alguns ombros importantes comigo.
Ano de projetos abandonados e realizados.
Ano de mãos estendidas, prontas para me socorrer.
Ano de promessas cumpridas e outras nem tanto.
Ano de vitórias e derrotas (ê Galo capitalista que fez a massa sofrer 6 vezes mais...)
Ano de reencontros esperados.
Ano de filmes, batata frita, pipoca...
Ano sem Mc Donalds.
Ano de sufoco.
Ano de alegrias.

Acho que todos os anos são assim: no fim nunca é tão ruim como parece no começo.
Agradeço aos que estiveram ao meu lado desde sempre e aos que estiveram presente em algum momento.
Que as amizades feitas esse ano se firmem. Que as que foram mantidas se fortaleçam. Que as que foram redescobertas se avigorem.

         Meu Deus,
       em 2012 permaneça ao meu lado. Que no final do próximo ano, mais uma vez, eu possa ver os seus passos no meu caminho.
        Guarde minha família e meus amigos e nos mostre as suas vontades.
        Obrigada pela oportunidade de viver e ser livre.
        Amém!

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Tanto

Vejo minha mudança pronta. Tantas caixas que dizem de mim o que sou e fui. Livros, cds, maquiagem, roupas... todo o supérfluo que me define tão bem. 
Estou indo. Sonhei tanto com esse dia! 
Em meio a tantas coisas e sentimentos, vi minha vida passando em um telão. Momentos e mais momentos... Quanta água ainda vai passar por essa ponte!
Essa é só mais um etapa vencida, e com sucesso.
Sempre duvidei da minha coragem. Mas não estou sozinha. Nunca estive. 
A diferença agora é ter escolhido ser escolhida. Me permiti.
O destino, a vida, o mundo, o acaso, sei lá... algum desses ou todos esses fizeram com que chegássemos até aqui.
Apenas uma porta e uma cerimônia nos distancia do passado.
Entrarei lentamente e sei que não conseguirei conter o que está transbordando dentro de mim.
Passos leves, braços postos. Também não estou sozinha aqui.
Olhares me cercam... Não! Não é pecado reconhecer tamanha beleza.
Suspiros amigos, sinais discretos e algumas lágrimas. Sim, Vocês sempre estiveram comigo.
Flores. Flores? Sempre preferi chocolate, talvez não seja hora...
O violino está falando que é agora.
Depois de tanto tempo, tanta emoção e tanto sonho acho que estou pronta.
Os sinos já podem tocar!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Eu sei que vai chover...

E agora? O que será de nós? Até onde isso pode nos levar?
Não tenho motivos para fingir, mas vou disfarçar o quanto puder.
Não sei o que quero. Na verdade até sei, mas não tenho maturidade o suficiente para assumir.
A partir de agora, o mundo voltou a sua órbita.
Abri a porta e está tudo como deixei, cada coisa no seu devido lugar.
Não precisamos de nada além de nós mesmos.
As coisas vão e vem, e vem e vão na hora que devem ir e vir. Nada além disso.
Nada além do curso normal das coisas.
Aprendi que o tempo sempre será o senhor da razão. 
Não importa o quanto pareça impossível, o que tiver que ser, sempre será.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Relicário

Será mesmo que isso é importante?

Tem dias em que eu só queria sair um pouco de mim. Me deixar para trás e viver outra vida, uma vida bem diferente da minha, depois eu poderia voltar e decidir quais escolhas realmente são necessárias.

Tenho um pouco de medo de me arrepender disso tudo. De tanta escolha, tanta convicção.

Não seria melhor se não existissem limites, preconceitos, doutrinas?

Costumo me privar de coisas que talvez eu goste, mas que não sei dizer porque não conheço.

Tem quem ache que assim é mais difícil. Eu acho mais fácil. Me escondo atrás das minhas certezas e não preciso dar minha cara a tapa.

Um dia não vou poder mais fugir. E talvez esse dia esteja bem mais perto do que eu imagino.

Não quero sofrer por antecipações, mas já estão batendo na minha porta.

A verdade é que o mundo não perdoa. E cada dia que passa, fico mais velha e mais fora da minha própria realidade.

Existe realmente hora certa para tudo? A minha hora é a hora certa? Quem é que define a razão entre tempo e experiências?

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Ordem Interna

O que é isso? Não sei definir nem explicar mas é nítido. Tem alguma coisa aqui.
Se é bom ou ruim também não sei. É estranho.
Estou disfarçando porque não tenho certeza... mas se for o que eu estou pensando, não sei como será.
Estou com medo.
Me falta algo... sofro com todas essas ausências.
Não sei o que procuro. É tudo muito confuso.
Fala comigo!
Se muito me ignoram, mais eu quero ser notada. Defeito de fábrica esse que carrego.
Tenho outros desarranjos esquisitos: se muito quero, nada faço. Se muito espero, me canso. 
Poderá, um dia, tudo isso ser diferente? Não sei. Até gostaria...
Enquanto é assim, aproveite.
Seu tempo já está correndo. Os ponteiros acusam o mal estar. Apontam para o "não sei o que fazer".
Está dormindo? Pois trate de acordar porque o meu dia já começou.

Re-conhecer

Parece que entrei no túnel do tempo. É tudo muito familiar e ao mesmo tempo bem assustador. E sempre maravilhoso. É como se tirasse férias dos dias de hoje por umas horas e passeasse sem preocupações pelo passado.
Você não sabe, mas te esperei por anos. Passei anos pensando, imaginando, sonhando com o momento em que as coisas teriam a chance de ser como antes. Hoje quando recebo suas mensagens, ligações, recados etc, me sinto aquela mesma menina de anos atrás que tinha na rua de cima alguém que podia contar de verdade. Pode parecer exagerado mas, para mim, faz parte de uma reconciliação comigo mesma. De uma hora para outra o mundo voltou a girar para o lado certo. E eu terminarei meu ano com um saldo positivo.
Achava que as coisas que não foram vividas na época certa, se perdiam no tempo. Hoje sei que não. A hora certa é a hora que acontece. 
Quem diria que depois de tanta distância, a proximidade nos resgataria. Quem diria que nessa altura da vida me reencontraria com pessoas que me ajudaram a formar quem eu sou hoje...
É muita surpresa, muita alegria, muita euforia, muita felicidade, muita filosofia para um blog só...

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

(Des) Humanidades

Descobri o que me falta: Humanidade.
Confesso que essa tal Humanidade sempre causou em mim um imenso fascínio. Era um assunto pelo qual eu tinha imenso interesse. Até que esbarrei nela. Foi subitamente. Li algo que ao invés de me aproximar, me distanciou de alguém.
Foi aí que a ficha caiu. Fujo da minha própria humanidade e quero distância da humanidade alheia.
Quando percebo resquícios de humanidade em atos e palavras, me refugio.
Não quero dar de cara com algo que não tem explicação. A humanidade exige muito de nós e não conheço nenhum manual para resolver certas questões." Ser" humano é bem mais do que "nascer" humano.
Eu poderia ajudar. Isso poderia me ajudar. Mas a barreira é muito grande.
É feio ser tão clara como estou sendo, mas é a mais pura verdade.
Não estou preparada para ser gente.
Desculpem-me a decepção.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Na minha estante

Pensei em mudar algumas coisas no ano que vem... 
Achei bom começar por uma coisa que é bem marcante em mim, talvez algo que me distingua da grande maioria.
Resolvi pensar então nas possibilidades... 
E percebi que não estou tão afim de dar minha cara a tapa nesse momento.
Cada dia mais me sinto um peixe fora d'água. Cobranças de todos os lados. Queria muito abrir mão dessa característica. Mas não agora... talvez um dia...
Sempre acho que não vai valer a pena.
Sei que é medo da mudança.
Mudanças, normalmente, dão medo.
Essa, em especial, chega a me paralisar.
Não quero ficar me machucando de graça...
Vou esperar mais um pouco. Talvez não seja o momento.
O dia que mundo parar, resolvo essa pendência.
Enquanto isso, vou aumentando minha estante para ver se cabe mais recordações de oportunidades que passaram.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Há tempos...

Preciso manter meus olhos abertos, qualquer piscadela me leva longe. 
Foram muitas lembranças e momentos retirados do fundo do baú.
Caí no poço e não quero que ninguém me tire. Venham para cá!
Não sei como passamos tanto tempo longe.
Risos e gargalhadas. 
Hoje nada de promessas. 
Roupa, salto, cabelo... futebol (!?!)
Alegria.
Estamos no fim e daqui a pouco tudo vai começar de novo.
É muita vida, muito encontro, muito desencontro.
Não me deixe esperando.
Podemos retomar tudo daqui?

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Regressar

Queria te contar que não me sinto preparada para esse mundo. Não tenho maturidade, nem coragem, nem maldade o suficiente para me dar bem aqui.
Sou isca fácil para todo tipo de desastre.
Sinto falta de fazer nada, jogar conversa fora, ver tv, rir até chorar... sinto falta até de ter que pedir permissão para as coisas... (pensando bem, acho que isso não), sinto falta é de ser mandada. De não ter outra escolha, ou é assim ou é assim e pronto.
Todos os dias descubro um defeito novo em mim. E são cada dia piores.
Não sei se isso que sinto tem cura. Ás vezes acho que não.
Só queria que fosse mais fácil, ou menos difícil...
Posso voltar? Fazer tudo ser como antes, nada de dor, nem tristeza, nem medo.
Faz o tempo parar para eu voltar a viver.

domingo, 13 de novembro de 2011

Triste realidade

Caí de novo e estou pedindo ajuda para me levantar, mas ninguém me ouve. Se me calar, não sei se conseguirei sair sozinha desse buraco que parece aumentar cada dia mais...
Mais uma vez, olho para os lado e só vejo lixo.
A noite escura me pegou em plena luz do dia. Fui levada sem ter a chance de dizer que não queria voltar para lá.
Estou tentando me enganar e ver cores na escala de cinza que me envolve. Lembranças me agoniam com a certeza de que sozinha não conseguirei.
E se eu fugir? E se o mal for cortado pela raiz? E se eu simplesmente desistir?
Tenho feito de tudo e não vejo retorno algum.
Dizem que é a preguiça. Não é. Conheço ela muito bem. Preguiça não causa paralisia.
O nome disso é outro. E não quero falar. Tenho medo só de pensar.
E se isso for maior do que eu? E se eu não mais tiver forças? 
A sensação é cada dia pior. Não sei mais como agir. O inferno está aqui, me queimando.
Calei. Chorei. Parei. Fiquei. 
Até quando vai ser assim?

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Moda Primavera Verão 2012

A tendência para o verão que se aproxima é a Impulsividade. Junto com os moletons e casacos guarde aquela chatice de ficar pensando e refletindo. Aposte no fútil, no inútil, no lúdico.

O calor vem trazendo um desejo de liberdade. O fim do ano nos desafia a deixar para trás tudo o que não deu certo. Abra suas asas e tome impulso. 

Quanto mais sabor a sua vida tiver, mais chance você terá de ser lembrado.

Se já chegou a sua hora de partir, não se preocupe com as malas. Leve menos que o necessário para aproveitar melhor a caminhada.

Se o tempo é de esperas, acalme-se. 

Se o fardo está pesado, descanse. Deite e espere a noite passar.

Se o risco for necessário, assuma-o.

Se você escutasse mais a sua vontade, essa, com certeza, seria uma grande noite.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come...

Ei vocês que ficam sentadinhos na platéia, esperando o espetáculo da vida começar: os artistas sumiram, a cortina está queimando e esse teatro será destruído.
Vocês terão que escolher entre ver de camarote tudo acabar ou salvar sua própria vida.
Se ficarem verão, literalmente, o circo pegar fogo.
Se fugirem, não terão o controle da situação. Não dá para prever o dia de amanhã.
Vale a pena arriscar?
Em que momento da vida você se encontra?
O que espera do seu futuro?
Você possui alguma coisa de valor? Seja financeiro, afetivo, sentimental...
Você tem para onde voltar? Para quem voltar?
O que realmente você perde se for embora? E o que você já perdeu com essa mania insistente de ficar?
Vamos! Decida!
Quantos anos mais você passará pesando e medindo todas perdas e ganhos que podem vir a acontecer no decorrer de sua vida? Já não perdeu o suficiente pensando, sofrendo e lamentando tanto?
Levante logo! Faça alguma coisa!
Se arrependa se for o caso, mas não fique aí parado!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Desisto

Desespero, angústia, tristeza, agonia...
Tento fingir que não é comigo, mas não dá.
Cada dia é pior, mais pesado, mais difícil.
Não aguento esse fardo. 
Preciso de alívio.
Sinto uma fome que alimento nenhum consegue cessar.
Minha sede já secou toda a esperança que me restava.
Eu me rendo. 
Não sou mais capaz de enfrentar nada.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Cansada

Estou precisando fazer as malas e sumir por uns tempos.
Desligar celular, notebook, televisão, rádio...
Mais uma vez me vejo perdida em promessas e caminhos.
Não quero mais esperar nada de ninguém.
Queria não precisar de mais ninguém para nada.
Cansei de nunca poder, nunca ter, nunca ser...
Escolho ser dona da minha felicidade.
Acordarei todos os dias na esperança de que o hoje será melhor do que o ontem.
Eliminarei TUDO o que me distancie da felicidade plena.
Pagarei o preço que for para não mais chorar, nem me aborrecer, nem me estressar.
Viverei do meu jeito.
Farei apenas o que julgar ser correto.
De hoje em diante limpem seus pés antes de pisarem em mim.
Lavem suas bocas antes de pronunciarem meu nome.
Desinfectem as suas mãos antes que elas me toquem.
O gigante que aqui estava adormecido, acordou enfurecido ao som dos seus berros.
E ele ainda não conhece o que chamamos de autocontrole.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Nossa Juventude

Tanto para dizer, fazer, pensar, aprender, amar, viver... 
Muita coisa para tão pouco tempo, pouca vida.
Até quando vamos adiar nossa juventude?
Primeiro a culpa era da pouca idade, dos pais, depois dos estudos, do trabalho, da falta de tempo, de dinheiro...
Não podemos continuar nos escondendo desse jeito.
Uma hora ou outra teremos que encarar a velhice e se não corrermos contra o tempo, essa hora chegará antes de termos vivido nossa tão esperada juventude.
Os bons momentos estão passando sem a nossa participação. A parte boa da vida está se perdendo em um tempo que não poderá ser recuperado.
Se não arregaçarmos as mangas e tomarmos uma atitude concreta, tudo o que teremos serão lembranças do que deveríamos ter feito, dito, pensado, vivido.
Estamos juntos nesse barco, se cada um remar um pouquinho, chegaremos mais rápido. 
Confio em vocês! Sempre!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Querer

Por saber que posso, desejo não querer. Quando imagino que não sou capaz, sou fisgada pela vontade de só querer isso e nada mais.
O poder é fascinante. Quanto mais tenho mais quero ter. 
Mas tem vezes que quero pouca coisa. Quero só o simples. E nessas vezes é mais difícil conseguir.
Se consigo o que quero, logo quero outra coisa. Se não consigo, vou fundo até conseguir.
Sorria para mim vida! 
Me dê mais do que espero e mereço. Me dê motivos para agradecer a cada minuto. Me presenteie com surpresas inusitadas e apaixonantes. Me dê um risco seguro.
É isso mesmo. Quero tudo e quero de mão beijada.
Quero o impossível num piscar de olhos. Quero milagres eternos. 
Estou preparada. Pode começar a sua parte que eu dou conta de toda essa felicidade que está por vir.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

O tempo está a seu favor! Aja!

Tive a chance, achei que não era o momento. Depois que encostei a cabeça no travesseiro pensei: mais uma oportunidade  passou... 
Resolvi então me preparar para não perder a próxima. Mas há quem diga que a sorte só bate na sua porta uma vez. Ela bateu na minha, virou a maçaneta e abriu, esperou que eu lhe permitisse entrar, eu fui malcriada e ela deu meia volta. 
Ainda acredito que volte. E é aí que mora o perigo: naquela brechinha de esperança que nos faz levantar cheios de expectativas, que faz o dia passar com aquela certeza de que algo ainda vai acontecer e nos leva para a cama cheio de ilusões e convicções de que "de amanhã não passa!".
Amanhã que vira depois de amanhã, que vira semana que vem, mês que vem, ano que vem... 
Aí a gente morre, sem ter vivido. Muitas vezes vivemos de sonhos que nunca ousamos tirar do nosso sono. Sonhos que julgamos ser impossíveis, improváveis, distantes... 
E por criar um rótulo para o sonho nos vemos no direito de não movermos nenhuma palha para que ele se realize. Sabe o que acontece? Ele não se realiza e ainda temos o atrevimento de achar isso normal... era impossível mesmo...
Pára com isso. As coisas pode sim acontecer, podem dar certo, podem nos surpreender. Permita-se. Mova-se. Acredite.
Se até agora não deu certo, mude de estratégia, levanta essa cabeça, sorria, faça algum esforço.
Ainda dá tempo!
Quem deixa o cansaço bater a ponto da desistência entrar só poder ser quem não mais tem motivos para sonhar.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Odiosidades

Odeio gente falsa.
Odeio gente sonsa.
Odeio gente ingrata.
Odeio gente aproveitadora.
Odeio gente invejosa.
Odeio gente interesseira.
Odeio gente esnobe.
Odeio gente preconceituosa.

Odeio ainda mais gente que consegue ser isso tudo ao mesmo tempo.

Sinceramente: Morra!

Impossível não lembrar da música do Luxúria:
"Esse meu ódio é... Meu ódio é...
O veneno que eu tomo querendo que o outro morra."

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Consumista

Eu gosto do muito, do excesso, do desnecessário, de quantidade. 
Me interessa o que é útil, mas me sinto seduzida pelo que é fútil, inútil...
Não é bagunça não... isso é exagero.
Coisas e mais coisas que nunca usarei mas que me proporcionam felicidade instantânea.
O que me atrai é o poder. 
Preciso estar no comando para me sentir segura.
Me elogie, me provoque, me faça rir. 
Eu quero ser, quero ter, quero tudo... e quero que me queiram, mesmo que eu não queira.
Esse é meu vício, minha droga, meu maior descontrole.
Não quero dinheiro para guardar, quero gastar sem ter que preocupar.
Quero esbanjar saúde, beleza e alegria (mesmo que momentaneamente).
Quero ser eu sem me preocupar com os olhares alheios.
Sei que tudo isso soa um pouco superficial, mas ainda me sinto normal.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Alguém que me conhece


Quem falou que você pode falar com tanta propriedade sobre mim? Quem permitiu que você me conhecesse tão a fundo? Como pode alguém saber mais de mim do que eu mesma?
Sim, por mais que eu negue, você tem razão.
Vou tentar repetir suas palavras para mim até que eu consiga assumir esse eu que todos vêem, mas que me sinto tão envergonhada de ser.
Sou uma menina sentimental, com o coração puro, que acredita em contos de fada. Vivo minha rebeldia romanticamente, no fundo só queria ajudar. Tento me esconder por trás de uma armadura de isopor que vive despedaçando. Espero sempre o melhor das pessoas e sofro toda vez que vejo que elas não são tão boas quanto parecem (ou quanto eu espero que sejam). Choro até hoje por aqueles que perdi na minha vida (e aqui incluo os que ainda estão vivos). Não sei lidar com falsidade. Sou mesquinha e rancorosa. Minha arrogância é apenas uma parte da máscara que uso para cobrir minha baixo estima. Dependo dos outros muito mais do que gostaria. Sou dependente de gente, de comida, de música, de palavra (escrita e falada). Sou carente... de família, de amigos, de gente, de afeto, de carinho, de risos, de liberdade... sou mal agradecida, eu sei. Ás vezes, mal amada, mal educada, boca suja, infeliz... Sou assim e você ainda tem coragem de me olhar e dizer que gosta de mim...
O que eu posso dizer para você? Continue assim... 

Ansiedade


Estou com um pouco de medo do que pode vir a acontecer. Devia viver o momento e pronto mas não consigo agora. Quando queremos muito uma coisa, passamos boa parte do tempo idealizando como seria tudo. Nunca é como imaginamos. Eu quero muito e ao mesmo tempo não quero querer. Na verdade, não quero me decepcionar. Não quero esperar de novo e nada acontecer. Não quero me iludir e sofrer. Queria estar apática. Queria não pensar, não sentir, não sonhar.
Já mudei tanto e ainda tenho muito a mudar... Dá para começar de novo? Sempre dá. A dor da espera costuma ser produtiva e infrutífera. Produzimos coisas que não darão frutos.  Perdemos nosso tempo com um monte de besteiras. Fico desviando minhas forças para o lado errado e acabo perdendo... Posso me ocupar com coisas boas? Sim. Quero me ocupar com coisas boas? Não sei.
Ás vezes toda aquela alegria me cansa. Sinto preguiça de tanta felicidade. Ao mesmo tempo não tenho predisposição para a tristeza total. Quero rir e chorar no meu tempo. Quero ir ou não de acordo com as minhas vontades. Quero a escuridão de um dia de sol. Quero ser eu, ainda que eu não saiba quem eu sou.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Próximo!

Eu me apaixonei pela ideia de estar apaixonada. Me encantei pelo encanto de poder encantar. Me realizei nas conversas divertidas e sinceras.
Aí me esqueci que nem tudo depende da minha paixão, do meu encanto e da minha realização...
Fui eu e isso já foi um erro!
Não há quem se apaixone, se encante ou se realize na certeza.
O que nos encanta são as dúvidas. O que nos realiza são as surpresas. O que nos apaixona são as respostas inesperadas.
O que tem que ser, o premeditado, o óbvio, não nos causa sensações doces e provocantes. Apenas cumpre o ritual.
Eu quis fazer do improvável o esperado.
E devo admitir que não deu certo!
Mas acho que valeu a tentativa...

domingo, 25 de setembro de 2011

Ainda há tempo

Ei você que acha que está sempre no topo!
A qualquer momento o tombo vem. 

Fica se mostrando superior, gosta de aparecer e pisar em quem já está caído. Um dia a vida cobra, e cobra caro.

Você sabe disso, só estou escrevendo para me aliviar. 

Sei que por dentro só tem vazio e podridão. É infeliz e não sabe amar. É esnobe e não tem humildade. É solitário e não sabe compartilhar. Sua vida é só aparência. Escolhe os amigos pelos bens que possuem. Faz caridade para ser colocado no pedestal. Inventa mentiras para se vangloriar de acontecimentos que nunca existirão.

Quer um conselho? Se aceite. Não é vergonha nenhuma errar, somos humanos.

Plásticas, nem silicone, nem maquiagem, nem grifes, nem dinheiro nenhum no mundo podem te dar o que você precisa: paz interior.

Pára de pregar coisas que você nunca viveu. Reconheça que se acha grande mas, quando realmente precisa de ajuda, só pode contar com os pequenos.

Você tem a beleza do vazio. Sua vida é superficial. Não minta tanto para si mesmo. Pare de se enganar.

Nada mais triste do que viver uma mentira. Sua presença causa ânsia de partida. Sua ausência não é sentida. 

Me faz um favor? Não vem aporrinhar a pobreza de minha família. Permita-nos responder por nossas escolhas. Não precisamos da voz de Deus materializada, através de um humano infeliz, a nos dar lições de moral. Somos grandinhos e conhecemos a verdadeira felicidade, coisa que para você, ainda é inatingível.

Lembre-se: Ele veio para os pecadores e só os pobres possuem a chave do céu.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Doutor, eu não me engano...

- O que te trouxe aqui?
- Preciso de um comprimido que bloqueie meus sentimentos. 
(Não quero que nada mais me atinja. Sabe aquela sensação de que tem um nó na nossa garganta e parece que um vazio tomou o lugar do nosso coração? Não quero mais. Não quero sentir isso nem por tristeza nem por felicidade. Dispenso todo e qualquer sentimento que exista. Se eu for desprovida e imune a essas coisas que nos fazem perder tanto tempo, poderei me dedicar a mim. Vou estudar, trabalhar, sair, viajar e sempre que me deitar, o pensamento que virá vai ser de que tenho a vida que eu sempre quis ter.) 
- ...
- Doutor, aumenta a minha dose de realismo e indiferença porque tem alguém aqui dentro do meu peito batendo e dizendo que não quer morrer tão cedo.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Pode ser?

Por onde eu começo?
É complicado falar assim, queria que esse fosse o normal. Na verdade até acho que é, muitos pensam como eu...
Você não. Sei que não me disse nada sobre isso, mas eu sei que não concorda.
Talvez eu te convença, talvez não.
Só queria muito que as coisas fossem do meu jeito, não queria me despedir tão cedo.
Não estou muito aberta a negociações, não posso jogar toda a minha vida pro alto agora.
Vamos fazer um acordo: eu dito as regras e você obedece. Pode ser?

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Cinderela

Hoje eu perdi o ônibus, perdi o encanto, perdi a paciência...

O sapatinho de cristal não mais está com a Cinderela.

Meu medo sumiu. Não temo mais a morte, nem a vida. Não acredito em destino, estou nas mãos de Deus.

Feliz aquele que não precisa esperar. Não cansa e desconhece a ansiedade. Pobre de quem sabe todas as respostas. A vida sempre traz uma pergunta inédita.

Não sou mais tão ingênua a ponto de acreditar que será sempre assim.

Como já cantou Cássia Eller, o Pra Sempre sempre acaba. Mas vou completar essa frase com Netinho de Paula: o Pra Sempre é sempre eterno enquanto dura.

E aí!?! Você está indo para onde?

Tem lugar para mais um lá?

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Adivinhe quem eu sou

Olhe para mim e verás tudo, menos o que realmente sou. Escute o que eu tenho a dizer e entenda o que nem eu sei explicar. Não vou confiar para não me machucar. Não vou perdoar para não me decepcionar. Não sou tanto quanto gostaria de ser. Apenas sou o que me permitem ser. Dai-me asas e eu voarei. Me dê o chão e meus pés tocarão as nuvens.

A sua função

Não dá para entender como você consegue fazer coisas tão bobas virarem um verdadeiro pesadelo para mim.

Eu preciso aprender a me cuidar, planejar minhas vitórias, descobrir quem eu sou... mas não consigo com você me olhando. Não consigo crescer nem me libertar.

Sei que essa é a hora que você diz que estou me colocando como coitada.

Sou responsável pelas minhas escolhas e refém das suas. Não há como separar em mim onde começa a culpada e termina a vítima, ou vice versa.

Sei que não fala por mal, só que isso não me faz bem.

Tente se colocar no meu lugar... As coisas simplesmente não estão dando certo e eu não posso fazer mais nada para melhorar. Estou com as mãos atadas, os olhos abertos, os pés cansados e a mente em ebulição. Não sei para onde ir. Aposto todas as minhas fichas no impossível e caio em contradição. 

Quero você por perto, mas não precisa tocar nas minhas feridas o tempo inteiro. Preciso de curativos e não de esfregões.

Ok. Não tem problema, talvez você só esteja desempenhando a sua função.

sábado, 17 de setembro de 2011

11 de Setembro de 2012

Uma pergunta ecoou na minha cabeça e passei um bom tempo tentando encontrar uma resposta... 
A pergunta era: Quem você permite que eu seja?
Pensei muito e... se eu não for o melhor que eu posso ser, de que vai valer viver?
Você tira de mim sempre o meu melhor. A parte boa se torna parte única...
E quem será que eu permito que você seja?
Tenho te permitido ser a minha porção de alegria do dia, o brilho dos meus olhos, a espera na janela, o riso descomprometido, um bem que eu quero sempre bem.
Espero que não percamos essa liberdade de sermos felizes só por ser...
E, se a felicidade é construída por tão pouco, podemos, então, esvaziar nossas malas e seguir caminhando pelo mundo sem muita preocupação com o que está por vir.
Vamos seguindo... 
Não quero chegar no "Enfim sós"... 
Estou no aguardo do "Enfim juntos"!

domingo, 11 de setembro de 2011

Volta logo

Oi Vida. Estou precisando falar com você... Cada dia que passa, um pouco de você se despede. A cada minuto perco um pouco de você... Preciso que esteja mais presente, preciso de mais intensidade nos meus acontecimentos. Queria que estivesse mais vezes comigo. Momentos importantes estão passando sem que eu perceba. Onde você está? A maioria dos sentimentos já se foram, só me resta um pouco de você. Acordo te procurando e vou dormir sem ter te encontrado. Lembra daquele mar de promessas que me fez? Quando começará a cumprir? Estou te esperando, demora não... Precisamos começar a recuperar o tempo que perdemos. Tem um monte de página em branco à espera das nossas histórias. Sozinha eu não posso começar. Sem você não há nada para contar. Vem comigo...

sábado, 10 de setembro de 2011

Eu queria tanto encontrar uma pessoa como eu, a quem eu possa confessar alguma coisa sobre mim...

Eu sei que sou cínica, sarcástica e debochada. Sou um pouco lerda, boba e desengonçada. Tem dias que sou esperta, divertida e até simpática. Sou prática para algumas coisas e bem complicada para outras. Sou isso tudo e muito mais...

Ainda tenho tempo para ser muitas outras coisas e sempre me pergunto por onde começarei minhas mudanças.

Hoje eu queria ser três pessoas diferentes para estar em três lugares diferentes com outras três pessoas diferentes.

Eu 1, no lugar 1, com a pessoa 1: feliz e empolgada em ter a chance de voltar no tempo e fazer tudo ser diferente e, quiçá, eterno. Eu 1 sou alguém que eu conheço muito bem e que por mais ultrapassado que possa parecer, eu não preciso de mais nada além de ser eu 1 com a pessoa 1 em qualquer lugar do mundo.

Eu 2, no lugar 2, com a pessoa 2: preocupada com o rumo que a vida ás vezes toma, faria o possível para que tudo fosse diferente para a pessoa 2. A pessoa 2 é de uma doçura e nobreza incomparáveis e não merece nada menos do que muita e muita alegria e felicidade. Eu 2 não posso fazer nada para mudar o rumo da vida da pessoa 2, mas posso estar nos lugares 2 mostrando que a pessoa 2 pode contar sempre comigo.

Eu 3, no lugar 3, com a pessoa 3: vivendo um conto de fadas, cheia de vontade de fazer tudo dar certo. A pessoa 3 é tudo que eu nunca pensei. Todos os lugares 3 são recheados risos, carinho e brincadeiras. É tudo inesperado e sem grandes pretensões . Não sei muito bem quem é a pessoa 3, mas sei que pode dar certo.

Agora volto a mim e me lembro que sou apenas uma. Uma que não é numeral. Uma que não sabe aonde ir. Uma que não sabe nem o que quer.

Eu só penso em como fazer tudo dar certo mesmo sabendo que essa equação é impossível de resolver.

Eu, aqui sentada na cama, pensando em lugares e pessoas. Sonhando e fazendo planos de coisas que podem nunca acontecer me pego pensando em refrões que dizem mais de mim do que eu posso dizer...

"Escutei alguém abrir os portões. Encontrei no coração multidões. Meu desejo e meu destino brigaram como irmãos e a manhã semeará outros grãos. Você estava longe, então, por que voltou? Seus olhos de verão que não vão entender. E quanto a mim, te quero sim, vem dizer que você não sabe. E quanto a mim, não é o fim, nem há razão pra que um dia acabe..."

"Amar não é ter que ter sempre certeza. É aceitar que ninguém é perfeito pra ninguém. É poder ser você mesmo e não precisar fingir. É tentar esquecer, não conseguir fugir, fugir. Já pensei em te largar, já olhei tantas vezes pro lado, mas quando penso em alguém é por você que fecho os olhos. Sei que nunca fui perfeito, mas com você eu posso ser até eu mesmo que você vai entender..."

'Quis evitar teus olhos, mas não pude reagir. Fico à vontade então. Acho que é bobagem a mania de fingir, negando a intenção. Quando um certo alguém cruzou o teu caminho e te mudou a direção. Chego a ficar sem jeito, mas não deixo de seguir a tua aparição. Quando um certo alguém desperta o sentimento é melhor não resistir e se entregar..."

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Correndo para lugar nenhum

Já fui mais paciente.
Hoje vivo um afobamento exacerbado.

Nem sei o que estou querendo mas estou correndo atrás.

Ao invés de dar tempo ao tempo, vou direto ao assunto.
(Isso, ás vezes, assusta.)

Gostou, bem.
Não gostou, já era.

Cansei de caminhos, agora só vou pelos atalhos.

Se é para ser, que seja logo.
Se não é para ser, me libera porque não tenho tempo a perder.

Não me deixe esperando nem faça muitos planos.

Aprendi a gostar do hoje.
Quero o agora e espero que esse agora seja eterno.

Bora viver porque morrer está muito difícil.

domingo, 4 de setembro de 2011

Eu quero ser...

Há dias em que os sorrisos são mais fáceis, as conversas são mais leves, os olhares são mais sinceros.

Há momentos em que o trivial se transforma em extraordinário e tudo que é simples passa a ser exatamente o que queríamos.

Acho que isso deve ser a maturidade chegando ou a sabedoria, não sei...

Percebo que a cada dia que passa me permito ser mais eu e menos o que querem que eu seja.

Escolho ficar perto de quem me aceita como sou, mesmo não sabendo ainda quem sou exatamente.

Estou tentando me convencer de algo que ainda não sei o que é.

A antítese da vida me entorpece.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Não me decepcione

Não vou mais me esconder nem te procurar, já te encontrei. Agora só falta você me achar.

Não farei planos, vou deixar rolar. Abrirei a porta da sala e esperarei pacientemente você entrar. Se demorar, prometo não me cansar. Se for muito rápido, pedirei um tempo para pensar.

Na janela sol e lua iluminarão a esperança de viver dia após dia o doce sabor de ter alguém para dividir comigo o que sou.

Vamos deixar de lado o que já passou. Começaremos amanhã nosso futuro, sem pressa, sem medo...

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Novos caminhos

É preciso crescer para ver o mundo como ele é.
As pessoas te querem bem desde que o seu bem não seja maior do que o bem delas.
Como é triste conhecer de perto quem nos rodeia.
Ganância, soberba, ignorância, vaidade...
Entre sorrisos gélidos e brincadeiras impassíveis o veneno vai escorrendo e corroendo a pureza que nos resta.
A falsidade e o desrespeito ferem como punhais. Quem os lança ainda sentirá as dores que causou.
Ainda acredito num mundo diferente, por isso não me sujeito a nenhum tipo de sujeira.
Aqui plantamos e aqui colheremos o fruto que merecemos.
Não é medo do que virá e sim consideração com o meu futuro.
Ainda não tenho métodos nem receitas ideais para me proteger (ou seria me defender?) da maldade e inveja alheia.
Veem em mim qualidades que eu não possuo e desprezam o que sou.
Quero distância de tudo que me atinge negativamente. Preciso de sossego.
Vou em busca de estradas floridas, dias ensolarados e amizades verdadeiras.
Sei que ainda tem muita gente sincera e bondosa no mundo, só preciso encontrá-las.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Mentirosos

Despertei da utopia que estava vivendo nos últimos tempos e vi o quão boba sou.
Acredito sempre que as pessoas estão dizendo a verdade (o que raramente acontece). Confio em falsas promessas. Espero acontecer no mundo real o que sonhei durante toda noite.
Se não gosta de mim, não diga que gosta.
Se eu faço algo que lhe desagrada, converse comigo e não sobre mim.
Se não tem o que falar, fique calada.
Se não vai me ligar, não diga que vai.
Quando meus pés encontram o chão sinto meu coração se esvaziar. Da minha vida resta apenas um pesar.
Meu mundo é feito de ilusões fantasiosas. Nada acontece de concreto, são só palavras desconexas.
Atribuo sentido a cada mentira contada entre sorrisos.
Espero por cada presente prometido.
Ainda vou aprender a me defender dessa lábia maldita que tanto judia da minha autoestima.

sábado, 13 de agosto de 2011

Conselhos

Não escute o que os outros vão dizer. Olhe para mim.
Siga seu coração. Não pense no futuro. Viva o presente. Ame intensamente.
Cada dia é único. Não perca tempo.
Cada decisão te levará a um caminho diferente. Siga sua intuição. Ande sempre para frente.
Pense e aja cautelosamente. Reflita sobre suas atitudes. Não perca tempo com inquietudes.
Se quiser falar, fale.
Se o momento for de calar, cale.
Se a melodia lhe agradar, dance.
Se o que você vê te perturbar, retire-se.
Pode ser que não seja tão difícil quanto imagina. Espero que não seja tão fácil para que não se canse prematuramente.
Diga que está pensando em mim antes de dormir. Confesse seus segredos ao travesseiro para aliviar seus pesos.
Ouço o telefone. Quem será?

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Clara como a luz do sol

Constantemente me percebo diferente da maioria das pessoas que conheço. Peco sempre pelo excesso. Me protejo e me exponho simultaneamente. Parece contraditório, mas não é.

Me defendo do mundo e não escondo de ninguém quem eu sou. Não precisava de tanto. Não precisava falar nem cuidar tanto de mim. Perco demais por ser assim. Deixo passar oportunidades incríveis apenas para não deixar de ser eu mesma. Me arrependo toda vez que reforço ser quem eu sou.

Excesso de sinceridade levo ao sincericídio. Me mato diante do mundo só para não deixar morrer minhas convicções. Poderia ser mais flexível. Costumo me esquecer que o mundo vive em constante transformação. Paro no tempo enquanto espero a vida me levar.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

E se fosse verdade...

Algumas vezes lembranças de coisas que nunca aconteceram me assombram. Quando, onde, como, porque... eu não sei.



Meu mundo paralelo vive em ebulição. É muito sonho para uma vida só. São tantos pensamentos que não resta tempo para viver.


Costumo me perder na loucura de imaginar ser alguém que eu não sou, não fui e não serei. Sou prova viva de que Mário Quintana estava certo quando dizia que a imaginação é a memória que enlouqueceu.

Vou além do provável atravessando a cerca do impossível.

Não quero meus pés no chão. Quero minha mente no infinito, meu coração nas nuvens, minha vida em outro mundo.


Venha comigo, vou te fazer sorrir. Vamos juntos descobrir que não é tão difícil ser feliz.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Esperança

Meu nome? Paciência.

Meu hobby? Esperar.

Uma qualidade? Acreditar.

Um defeito? Insistir.

Um sonho? Alcançar.

Um medo? Desistir.

Um verbo? Permitir.

Um caminho? Experimentar.

Minha vida? Realizar.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Quem é você quando não tem ninguém que te conhece por perto?

Estamos sempre presos a estereótipos e principalmente ao que os outros pensam sobre nós.

Hoje vou contar como foram os momentos que me deixei para trás e fui viver o que eu realmente queria...

A primeira vez que isso aconteceu não tive maturidade para seguir em frente. Quis muito, tentei fazer as coisas acontecerem, porém não aconteceu nada demais. Não me arrependi, mas ficou aquele gostinho de quero mais. Faltou alguma coisa.

Na segunda vez que me permiti isso, algumas pessoas bem próximas estavam comigo e me apoiaram. Foi divertido e um pouco arriscado. A sensação de liberdade é realmente indescritível. Ser você sem ter que se lembrar de quem é você é a melhor coisa do mundo.

Agora vivo um terceiro momento assim. Lá ninguém me conhecia, mas ao mesmo tempo a sensação é de que a gente já se conhecia há muitos e muitos anos. As coisas aconteceram rapidamente e uma cumplicidade enorme se alojou entre nós. Mentimos, nos omitimos, nos divertimos, sorrimos e ainda conseguimos ser amigos. Até onde isso vai eu realmente não sei. O fim pode estar bem mais próximo do que gostaria ou muito mais distante do que imagino. Não há motivos nem razões para tal situação. É assim e pronto.

Ás vezes acho que os sentimentos deveriam ser filtrados pela razão, as coisas seriam mais simples. Ou a razão deveria ser filtrada pelos sentimentos, as coisas seriam mais interessantes de serem vividas.

Não sou um poço de sentimentalidades e isso tem me ajudado um pouco. Ao mesmo tempo consigo me achar um poço de romantismo. Não naquele sentido restrito da palavra, mas no sentido de fantasiar enredos reais para que eles fiquem mais próximos de uma sentimentalidade que ainda insiste em inexistir na minha vida.

Todos os dias tento mudar um pouquinho quem eu sou. Desta vez não é uma questão de insatisfação crônica, é uma tentativa de ser melhor.

Estou escrevendo e tentando direcionar minha atenção apenas para o que interessa. Não consigo pois um som vindo da janela me diz que “Traição é traição, romance é romance, amor é amor e um lance é um lance...”. É impossível não refletir sobre essa letra. Consigo concordar plenamente e ao mesmo tempo discordar totalmente disso. Usando a razão, as coisas são assim, cada coisa é uma coisa e nada se mistura. Mas vamos adicionar sentimento nessa equação. Vejo grandes possibilidades de uma traição virar romance, do romance virar amor e do amor ser o grande lance dessa vida.

Não quero chegar a lugar nenhum com isso. Foi só um insight, mais nada.

Como já me perdi nos meus próprios assuntos três vezes, vou me despedir. Sem mais palavras para esse momento vou passar mais um tempinho pensando se é melhor viver uma traição, um romance, um amor ou um lance na presença de quem nos conhece ou em algum lugar onde ninguém nos conheça.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Segredos


Hoje me contaram um segredo, desses que não podemos contar a ninguém. Eu confessei um segredo meu e dividi parte de algo que não gostaria de dividir nem comigo.
É bom ouvir segredos e partilhá-los. Temos a oportunidade de perceber nossas humanidades e ficar mais próximos de nós mesmos.

Não importa o quão bobo seja o seu segredo, sempre temos algum.

Pra ser sincera, não sou muito chegada a segredinhos. Não faz meu estilo esconder quem eu sou, mas ao mesmo tempo ainda não sei exatamente quem eu sou...

Cada acontecimento fora do padrão que acontece na minha vida me leva a um caminho diferente.

A cada caminho novo que faço conheço um eu diferente que me faz ser uma nova pessoa.

E assim vou caminhando... sem saber quem sou ou serei. E assim vou me modificando... sem saber se é isso mesmo que quero. E assim vou aprendendo... nem sempre da melhor forma.

A vida é assim: a cada novo destino que conhecemos deixamos algo importante da nossa bagagem para trás e levamos uma lembrança que, antes, não tinha valor algum.

sábado, 18 de junho de 2011

Tempo

Renato Russo já dizia que quando acordamos não temos mais o tempo que passou.

E como dói pensar num tempo mal aproveitado. Eu costumo perder meu tempo com o que não vale a pena, enrolo e acabo perdendo as partes boas da vida.

Dias se passam e as boas oportunidades também.

O problema maior é conviver com as lembranças das falas e das ações que deveriam ter existido.

Como todos nós sabemos: não temos tempo a perder.

Mas, será que terei tempo para voltar atrás e recuperar o tempo que perdi?

sábado, 21 de maio de 2011

Fatalidades da vida







Por fatalidade da vida eu te conheci. Por fatalidade da vida você não me conhece.


Te vejo todos os dias e você nunca me viu. Te ouço sempre e você nem sabe que eu existo.

Já ri e chorei com você. De você já senti raiva e me reconciliei. Por você já perdi o sono e já perdi há hora sonhando.

Não importa onde nem quando nascemos, a vida sempre nos leva a lugares que nunca imaginamos.

Eu ainda não comecei a traçar os meus caminhos. Você já está na estrada a muito tempo.

Não vou entrar nas questões entre o certo o errado, só acho que pode ser viável.

A probabilidade é mínima, mas em jogos de sorte e azar, no amor e na dor, no mundo real e no mundo possível, os números não importam, o que vale são as fatalidades.

Por isso espero que por fatalidade da vida a gente possa se encontrar um dia.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Emo

É impressionante como você se acha muita coisa. Por trás de tanta arrogância tenho certeza que mora um saco de bosta. Quem muito acha que pode apontar defeitos nos outros normalmente não é grandes coisas, no seu caso então nem se fala...

Parece que está vivendo num mundo diferente do real. Suas palavras ferem e causam ojeriza. Sua podridão fede de longe. Sua aparência é deprimente. Quer uma dica? Procure uma ponte e se jogue de lá! Dá um pouco de sossego para quem teve o azar de cruzar seu caminho.

Não admito que continue a falar assim dela. Farei o impossível para não ter nem lembranças suas. Some!

Não quero explicações nem desculpas, quero você morto. Você é infeliz, desagradável, sem graça, imbecil e como se tudo isso não bastasse ainda é feio. Não merece um pingo da nossa consideração. Não merece um fio do cabelo dela. Desiste Restart! Você não sabe com quem mexeu. É melhor entregar suas armas porque dessa vez você perdeu.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Dias Melhores para Sempre

Se eu ainda acredito?

Sempre!

Se eu ainda espero?

Com certeza.

Se eu ainda quero?

Tanto quanto antes.

Viver é se transformar a cada instante sem esquecer de sua essência. Não enganamos a nós mesmos tão bem quanto enganamos os outros.

Se eu conseguir ser fiel a mim mesma, no final de tudo, sei que terá valido a pena cada minuto de tristeza, desespero, medo etc...

E se essa for a história que eu terei para contar, aí sim, serei feliz!

O que depender de mim será feito, mesmo que as probabilidades de sucesso sejam remotas.

Estou na corrida para dias melhores!

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Ciúme

Há quem tenha ciúme de gente, coisa, lugar...

Será que existe alguém que não tenha ciúme de nada?

Com qual frequência e em que grau o ciúme é aceitável ou normal?

Existe alguma possibilidade de sentir ciúme do desconhecido?

Devo confessar que o ciúme é um sentimento que me assusta bastante, talvez porque um deslize o transfira diretamente para o palco do desrespeito.

Ao ouvir falar de algumas situações enciumadas tento me colocar no lugar da vítima e do agressor... não me vejo em nenhum dos dois lugares... me sinto "aciumada"... (não que isso seja bom, nem que eu esteja livre do ciúme... mas não me cabe em certas ceninhas...)

Não acredito em quem fala que ama mas impede que o outro cresça. Não confio em quem não pode emprestar ao outro coisas que não são vitais para ele. Não considero saudável alguém que descobre o paraíso e não quer dividi-lo com ninguém.

Claro que pode acontecer de um dia você cair na tentação e ser egoísta, mas espero que isso não aconteça com frequência e que você não comprometa a felicidade de ninguém (nem a sua) com atitudes lamentáveis.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Enfermidade...

Paixonite aguda, conhece esse mal? Muitos sofrem disso e não conseguem aceitar que é uma doença que deveria ser tratada.

Existem vários tipos de paixonite aguda e os sintomas são os mais variados possíveis.

Hoje vou falar sobre a paixonite platônica aguda também conhecida como paixonite aguda celebrity.

Na maior parte dos casos do tipo celebrity o enfermo não conhece pessoalmente seu alvo e passa dias, meses, anos fantasiando situações supostamente possíveis no seu mundo imaginário.

Essa enfermidade não oferece nenhum risco para o alvo e objeto de desejo, visto que o enfermo não tem coragem alguma para tomar qualquer atitude.

Já a vida do enfermo é totalmente comprometida. A pessoa passa boa parte do seu tempo vivendo uma vida que não é a dela, muda totalmente suas prioridades de acordo com seu alvo, não aceita interferência de terceiros que querem ajudar, tem déficit de atenção e dificuldade de dormir.

Estudos recentes apontaram a internet como um agente agravante do distúrbio que assola crianças, jovens, adultos e até mesmo idosos. A recorrência desse mal é observada com frequência na adolescência e juventude.

Se você tem ou conhece alguém que tenha esses sintomas, uma boa notícia: a paixonite tem cura e o tratamento pode ser gratuito.

Basta uma injeção de ânimo e uma boa dose de choque com a realidade. Ao persistirem os sintomas, o paciente deve dedicar-se ás atividades de poeta, compositor, escritor, pintor ou (caso não tenha nenhum talento em evidência) paparazzi, membro de fã-clube etc.